Manifestação de repúdio

Assesoria de Comunicação, 13.06.2019

 

Na madrugada de 13 de Junho de 2019, a residência do juiz presidente do Tribunal Judicial do Distrito de Cuamba, província de Niassa, foi invadida por 4 homens armados.

O magistrado que se encontrava em repouso junto da família foi surpreendido com mais de 26 tiros que atentaram contra a sua vida, integridade física e patrimonial.

Não se conhecem as motivações para um vil e rasteiro atentado contra um juiz, sobretudo na sua área de jurisdição.

Sabe-se apenas que atentar contra um juiz é atentar contra o Estado de direito.

Os juízes não vergam nunca, o que deverá exigir do Estado maior comprometimento em garantir a sua segurança como o esteio para a segurança dos seus jurisdicionados.

A segurança do juiz não é somente para a pessoa investida da função de julgador. É para a sociedade a que vai servir.

A AMJ repudia toda e qualquer forma de ataque contra os juízes e toma a dianteira na adopção e promoção de um quadro jurídico que lhes seja protector.

Nota da Associação Moçambicana de Juízes – AMJ

Rua Ivone Silva, nº 6, Lote 4 , 19º Dtº do Edifício Arcis - Lisboa - Portugal